Afinal, o que é Blockchain?
Afinal, o que é Blockchain?
Afinal, o que é Blockchain?

Afinal, o que é Blockchain?


Afinal de contas, o que é essa tal blockchain que tem sido tão falada nos últimos tempos?


Palavra pequena, mas de extrema importância no mundo virtual, blockchain chegou para revolucionar a forma como fazemos todo tipo de transação: seja através de dinheiro, de informações ou processos.

Mas o que é blockchain?

blockchain

Trata-se de uma espécie de banco de dados distribuídos que contêm uma cadeia de blocos ordenados de maneira cronológica com as informações armazenadas por meio de um código criptográfico de extrema segurança.

Parece complexo, né?

Mas veja se você consegue entender melhor dessa forma:

Imagine que as informações são a carga de um trem. Cada vez que um vagão é preenchido com dados, ele recebe um código complexo, certo?

Esse código é formado por diferentes tipos de caracteres, e que acaba se juntando ao restante do trem.

Dessa forma, durante esse processo, esse código incorpora à sua identificação o código do trem anterior.

De maneira bem simples, blockchain é um tipo de banco de dados que armazena qualquer coisa que tenha valor digital.

Assim, cada nova transação é salva em um bloco que, por sua vez, é adicionado a uma cadeia de registros existentes.

Ou seja, blockchain nada mais é que uma base de dados que os computadores estão acessando e se comunicando.

Em suma, uma blockchain é um protocolo que descreve como as transações são definidas, conectadas, transmitidas e coletadas. Blockchain inclui processos que fornecem consenso para atualizar o banco de dados.

Por fim, ficou mais fácil de entender?

 

O surgimento dessa tecnologia

Embora ainda não seja tão popular, a tecnologia blockchain surgiu há 14 anos, juntamente com o bitcoin, em um artigo acadêmico intitulado “Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to peer”.

O trabalho foi publicado sob o pseudônimo de Satoshi Nakamoto, o suposto criador do bitcoin em um momento de crise econômica mundial e uma bolha imobiliária.

Inclusive, a criptomoeda foi a primeira a introduzir essa aplicabilidade no formato.

Porém, tentativas anteriores de criar um sistema financeiro digital falharam porque as transações podiam ser copiadas, o que permitiria que os usuários gastassem o mesmo dinheiro mais de uma vez.

Por fim, com o bitcoin, o problema dos gastos duplos foi resolvido com os processos de registros e confirmação universais da blockchain.

 

E como a blockchain funciona?

blockchain

Agora que você já aprendeu o que é blockchain e como ela surgiu, que tal descobrir como ela funciona?

A gente te adianta: É bem simples de entender!

A blockchain coleta as informações em grupos, os chamados blocos, que contêm conjuntos de dados. Esses blocos possuem capacidade de armazenamento e quando preenchidos, são encadeados em uma sequência de outros blocos também preenchidos com as mesmas informações, formando uma cadeia, o blockchain.

Dessa forma, todos os novos blocos adicionados à cadeia são verificados com base nas informações de seus pares anteriores e recém adicionados.

Como resultado disso, é criada uma linha do tempo irreversível de dados.

Assim, quando um novo bloco é adicionado à cadeia, ele se torna parte de um sistema de conferência e da linha do tempo.

E isso funciona da seguinte forma: cada bloco possui o registro de data e hora exata da transação, que não pode ser modificado.

 

A criptografia

Como a segurança é uma premissa da blockchain, para garantir que cada operação seja única e que não possa ser forjada, a transação é criptografada com duas chaves, dois códigos ou senhas.

Por fim, com essas duas chaves, a transação é transformada em um bloco de texto chamado HASH.

Sempre que um novo bloco é criado, ele carrega junto de seu conteúdo todos os códigos hash das transações anteriores.

Dessa forma, o hash é compartilhado com todos os computadores conectados a uma rede e acrescentado ao “caderno de anotação” – ou banco de dados – que cada unidade possui.

Isso forma uma espécie de reação em cadeia de informações que são testadas uma a uma.

Se cada bloco carrega hashs de todas as transações anteriores, uma cadeia de verificação é gerada, porque todos os participantes da rede podem verificar a veracidade de todas as informações trocadas.

Como resultado tem-se um sistema confiável mesmo sem uma central regulamentadora, como um banco ou um governo.

Outro ponto que merece destaque é que não é possível apagar dados nem modificar transações na blockchain. Todos os registros são permanentes, formam um histórico e podem ser rastreados, o que dificulta o cometimento de fraudes.

Isto é, uma forma de descentralizar informação, criar um ambiente igualitário para todos os participantes e livre de golpes.

Os benefícios da blockchain

Ao longo do artigo você deve ter percebido que a tecnologia blockchain torna o mundo virtual muito mais seguro.

Mas as vantagens de utilizá-la não param por aí. Veja alguns de seus benefícios:

1.Mais transparência

A blockchain garante uma forma transparente, autônoma e rápida de fazer transações e registros de informações.

No entanto, a privacidade de seus usuários pode ser garantida, uma vez que há a possibilidade de se usar pseudônimos, e apenas mostrar os endereços de transação.

Além disso, os dados não podem ser apagados, nem adulterados. Dessa forma, a blockchain pode ser usada, por exemplo, para eliminar desvios de recursos públicos, evitar fraudes em eleições e facilitar os processos de auditorias.

2.Descentralização e rapidez

Os dados são armazenados e processados em vários dispositivos com acesso à internet, e não centralizados em apenas um local.

Assim, a blockchain elimina a necessidade que órgãos aprovem transações ou determinem regras.

Como resultado disso, as transações entre bancos, por exemplo, que podem levar dias para serem compensadas e realizadas, com a blockchain têm seu tempo reduzido para minutos e são processadas 24 por dia, em 7 dias da semana.

3.Melhora na verificação de identidade

Ao usar um sistema de blockchain, os clientes ou usuários podem evitar falsificações de identidades. Isso é muito interessante para fechar contratos eletrônicos ou fazer uma transferência de propriedade.

4.Melhora da segurança

blockchain

A blockchain evita a alteração ou eliminação dos registros do banco de dados, melhorando muito a segurança.

As informações relativas a um negócio podem ser acessadas abertamente, por qualquer usuário, ou apenas com permissão. Nesta modalidade, apenas agentes autorizados poderão ter acesso.

5.Remoção de intermediários e automação

A natureza da blockchain exclui a necessidade de intermediários, e os usuários interagem diretamente uns com os outros.

Dessa forma, o livro de contas distribuído é atualizado em tempo real, e todos os dados inseridos na blockchain são transmitidos e armazenados automaticamente.

6.Automatização

A blockchain foi desenvolvida para que não haja duplicidade ou informação conflituosa, sendo assim, transações que não respeitem essa regra não são registradas dentro de um bloco.

7.Imutabilidade

Outra vantagem da blockchain é que seu banco de dados é imutável, ou seja, consiste em um registro que não pode ser alterado e revisado nem mesmo por aqueles que operam o banco de dados.

Essa tecnologia é só para criptomoedas?

blockchain

Não! Apesar de ter sido um conceito nascido atrelado ao Bitcoin, a blockchain não se restringe às criptomoedas.

Inclusive, enquanto escândalos de invasão de privacidade e manipulação de conteúdo aparecem, além de casos de vazamento de dados, é a tecnologia de blockchain que aparece em primeiro lugar como uma solução eficaz para tornar os negócios digitais mais confiáveis.

Quer um exemplo fácil de como a blockchain já começou a ser usada?

Na agricultura, essa tecnologia rastreia o alimento que chega à sua mesa.

E como isso é feito? Por ser um registro público, que independe de empresa ou servidor, toda a informação daquele alimento (desde a sua colheita até chegar à mesa do consumidor) é mantida na blockchain.

Assim, quem compra pode saber quando foi colhido, por quanto tempo foi armazenado, qual a origem etc.

Legal, né?

A mesma coisa acontece na área da saúde. Aplicando a blockchain é possível integrar e organizar todos os dados e históricos dispersos entre hospitais, laboratórios e profissionais.

O resultado dessa integração poderia ser vista em diagnósticos traçados com muito mais precisão.

Além disso, se a blockchain for usada em cartórios, por exemplo, ela pode agilizar e diminuir os custos dos processos de documentações para registro de propriedades.

Viu quantas possibilidades através dessa tecnologia?

Isso só comprova como a blockchain pode contribuir para negócios que utilizem o registro de informações como base de seu modelo operacional ou que apenas precisem de mais confiabilidade em seus processos internos.

Gostou desse conteúdo? Que tal compartilhá-lo com outras pessoas também?

 


Por Equipe Apptuts
Seções:



Voltar ao topo