Quanto tempo durará a escassez do chip?
Quanto tempo durará a escassez do chip?
Quanto tempo durará a escassez do chip?

Quanto tempo durará a escassez do chip?


A queda na produção de componentes começou a partir de 2020 devido a pandemia do Coronavírus e ainda nos perguntamos quanto tempo durará a escassez do chip.


Nesse período foi comum depararmos com vários produtos eletrônicos em falta no mercado, logo num momento em que houve um aumento da demanda por novos smarphones e laptops.

Leia também nosso artigo Mac’s com chips M1 não vão rodar Windows 11: saiba o motivo.

Afinal, o que são esses chips?

Também chamados de semicondutores e também de microchips, os chips funcionam como o cérebro de nossa eletrônica.

Eles hospedam bilhões de transistores dentro deles, embora o tamanho do chip possa variar.

Além disso, esses transistores são como pequenos portões, permitindo que os elétrons passem por eles ou não.

Sua construção é bem complexa e envolve várias etapas, dias e profissionais especializados.

Por exemplo, o mais novo chip da IBM embala 50 bilhões de transístores em um espaço de dois nanômetros, do tamanho de uma unha.


“Imagino que existam mais de 100 bilhões de chips em uso diário em todo o mundo”, diz Matteo Rinaldi, professor de engenharia elétrica e informática da Northeastern University.

Dá para imaginar na quantidade de transistores e semicondutores que usamos diariamente em nossas vidas!

Estes chips são a força vital da sociedade moderna, mas mesmo antes da pandemia, a demanda por eles excedia a oferta.

Também chamados de “o novo petróleo”, os semicondutores têm sua produção controlada majoritariamente por Taiwan e a Coréia.

Embora seja uma invenção americana, atualmente, o número de fabricantes americanos diminuiu drasticamente.

Em 1990, 37% dos chips foram feitos nos Estados Unidos e em 2020, esse número era de apenas 12%.

A Pandemia e a escassez do chip

 escassez do chip

A pandemia desempenhou um papel importante na criação do desequilíbrio entre oferta e demanda, resultando no que estamos vendo hoje com a escassez do chip.

Somando ao fato do aumento das vendas de PCs e smartphones, ainda havia no meio do caminho algumas tensões geopolíticas entre a China e os EUA, que levaram as empresas tecnológicas chinesas a estocar agressivamente chips e equipamentos.

Além disso, os fabricantes de PCs, por exemplo, vêm sofrendo de graves problemas na cadeia de fornecimento há quase um ano.

Embora a indústria de PCs tenha registrado vendas recordes em 2020, os analistas acreditam que os números poderiam ter sido ainda maiores se os componentes tivessem estado prontamente disponíveis.

Comprar consoles atualmente também não está sendo uma tarefa fácil.

Muitas pessoas passaram a jogar mais videogames durante a pandemia e, dessa forma, esta sendo muito difícil para as empresas atenderem à demanda.

A tendência do último ano em toda a indústria mostrou uma dificuldade tanto na fabricação quanto na aquisição de consoles de videogame, então, a menos que a falta de chips for corrigida, o lado da produção continuará limitado.

Um problema generalizado da escassez do chip

Podemos listar alguns exemplos do problema causado pela escassez do chip.

Primeiramente, tivemos o lançamento, do iPhone 12 Pro da Apple. Nesse caso alguns consumidores tiveram que esperar até três semanas para comprar.

A outra gigante da tecnologia, a Xiaomi, também sofre com a falta desses componentes.

A previsão mais desanimadora é que poderá haver escassez de vários produtos durante a estação de alta de vendas da eletrônica de consumo.

Somado a assim, o consumidor irá sentir o aumento dos preços, tendo em vista que os fabricantes estão repassando para eles os custos da falta do chip.

Fato é que, as empresas que tendem a comprar produtos em maior escala, poderão ser ainda mais afetadas.

A vida cotidiana impactada com a escassez do chip

Os chips são encontrados em muitos produtos do dia a dia que, ao contrário de alguns produtos eletrônicos de consumo, não necessariamente experimentaram um boom na demanda durante a pandemia.

Entretanto, eles fatalmente serão afetados pela escassez global.

A tendência é que muitos produtos eletrônicos de consumo, PCs e brinquedos terão problemas semelhantes e sofrerão com a escassez do chip.

Relatórios mostram que os fabricantes de aparelhos, por exemplo, estão lutando para acompanhar a demanda, deixando os consumidores incapazes de comprar produtos alimentados até mesmo por processadores simples, tais como microondas, geladeiras e máquinas de lavar.

O fabricante de eletrodomésticos Electrolux descreveu recentemente sua cadeia de fornecimento como “tensa” em muitas áreas, particularmente para componentes eletrônicos, o que significa que a empresa não pôde atender à demanda de todos os seus produtos no ano passado.

A Electrolux previu que a situação poderia se deteriorar ainda mais nos próximos meses.

Olhando em frente para 2022

Para PCs, por exemplo, a previsão é que a escassez do chip continuará por algum tempo, à medida que os consumidores continuarem a encomendar mais aparelhos.

No entanto, só quando a demanda diminuir em 2022 é que a produção poderá se recuperar.

E enquanto a escassez global de semicondutores continuar, os consumidores frequentemente encontrarão poucas alternativas para esperar para receber os produtos que compraram.

Outras opções incluem comprar em segunda mão ou escolher outros fornecedores, mas uma coisa é certa: você não pode esperar que os estoques estejam cheios a qualquer momento.

Conclusão

Se você pretende comprar um smartphone ou até um carro, a dica é planejar com antecedência!

Não espere poder comprar ou encomendar algo e obtê-lo imediatamente, procure outros fornecedores e produtos, esteja preparado para levar um produto diferente do que planejava comprar ou literalmente levar o que estiver disponível.

Você já foi impactado pela escassez do chip no mercado? Conte nos comentários.


Por Equipe Apptuts
Nenhum Comentário



Comente este artigo

* Campos de preenchimento obrigatório

Voltar ao topo